Voltando a Pedalar – Canelada

A trilha Canelada também é feita no Jardim Botânico. Com 13 km, é um pouco mais difícil por causa dos trechos de “single tracks” (caminhos estreitos onde, geralmente, só passa uma bicicleta de cada vez) no meio do cerrado. Fomos conhecê-la no dia 28/07/2012.

Quando estávamos acabando de preparar as bicicletas para começar, três rapazes nos perguntaram informações sobre as trilhas. Era a primeira vez deles ali e eles só tinham o mapa do Jardim Botânico. Então os convidamos para vir conosco, pois temos GPS e já havíamos obtido os tracklogs antes. Foi muito bom ter a companhia deles.

A trilha ganhou esse nome por causa de um trecho em single track que possui uma grande quantidade da vegetação conhecida como Canela de Ema, uma planta típica do cerrado. A visão das Canelas de Ema queimadas, logo no início do trecho, foi triste. Consequência de algum incêndio no inverno passado. Mais adiante, muitas plantas já brotando novamente…

É lindo ver a capacidade de recuperação da natureza! Esse é um trecho bem sinuoso, cheio de obstáculos (pedras, tocos de madeira, raízes de plantas, trechos de areia, outros de cascalho, curvas fechadas e repentinas, num trieiro bem estreito, todo na descida);  eu ficava pensando que um tombo ali poderia fazer um grande estrago, por causa das Canelas de Ema que margeiam o caminho.

No entanto, o trecho também tem muitas flores, plantas diferentes, cupins, aromas. Tudo o que Deus fez é perfeito Eu adorei passar por ali!

Tudo estava bem, até que apareceu a mesma subida difícil da trilha Jardim Botânico… Ufa, que canseira! Mas dessa vez não fiquei pra trás sozinha. Um dos rapazes, também iniciante no pedal, estava botando os bofes pra fora, que nem eu.

Na Canelada o ganho de elevação é de 168m e, às vezes, é bom encontrar um companheiro para empurrar a bike, parar juntos sem conseguir respirar e dar um tempo. Percebo que sou normal.

Quando passamos perto da Administração, local onde começamos, nossos companheiros de trilha foram embora porque tinham compromisso com as esposas e namorada. Continuamos eu e Eduardo.

A subida não tinha fim! Essa também não foi nada fácil! No final o GPS surtou e nós ficamos meio perdidos… Seguimos nosso “instinto” e chegamos logo ao carro.

A nossa próxima trilha aconteceu na Floresta Nacional – FLONA e foi inventada por nós na hora do pedal, porque o planejamento furou.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*