Vale Europeu – Hospedagem e Despesas

O Timbó Park Hotel fica muito bem localizado, perto do restaurante Taphyoka, de outros restaurantes e de várias lojas. Nós gostamos muito do atendimento  Eles foram muito solícitos todo o tempo, guardaram parte de nossa bagagem até voltarmos no final do circuito e têm cozinha funcionando para lanches o dia todo. No primeiro dia, ficamos num quarto standard. Quando voltamos, no último dia,  trocamos por um luxo, porque eu ficaria no hotel o dia todo arrumando a bagagem (tarefa árdua) e descansando, enquanto o Eduardo fazia o curso de mecânica de bicicleta. Ambos apartamentos atenderam perfeitamente, mas é claro que o luxo é mais confortável, tem cama maior, varanda. Tirei várias fotos dos quartos, mas não sei onde foram parar. Não acho nenhuma!

Estância Turística Vale dos Ventos no Vale Europeu - Erika Horst

A Estância Turística Vale dos Ventos fica um pouco afastada da pequena cidade de Alto Palmeiras, mas vale a pena pedalar um pouco mais. O lugar é muito lindo! Os irmãos Bona capricharam nos chalé, que são muito aconchegantes. O lanche da tarde, o jantar e o café da manhã, todos incluídos na diária, foram espetaculares. O Ciro comanda a cozinha com mãos mágicas! Eles nos receberam muito bem e nos fizeram sentir relaxados. Há várias opções de lazer que não usufruímos, pois só dormimos e partimos logo após o café. Mas, quando amanheceu, a gente queria muito poder ter ficado mais um dia para aproveitar aquele melhor aquele lugar tão belo.

 

   

O Lodge Parador da Montanha é um lugar especialmente preparado para te segurar por lá.  “Uma cabana na montanha, lareira no inverno, vinho e romance para um final de semana inesquecível a dois.” O acolhimento do Oscar e do Marco (não tivemos a oportunidade de conhecer o restante da família Parador), a decoração dos ambientes, a comida, o conforto são razões para querer relaxar e aproveitar tudo num ritmo bem lento.

O café colonial, servido no final da tarde, o jantar e o café da manhã contaram com grande variedade de produtos caseiros, de excelente qualidade e saborosíssimos! Ficamos num quarto standard, oferecido com preço de diária especial para cicloturistas. Se quiser escolher outro tipo de acomodação, o preço da diária é normal. Gostamos muito do espaço e do conforto.

A Bella Pousada fica no alto de uma colina com vista para a cidade. É um lugar bem agradável! A Izabel nos recebeu muito bem e nos ofereceu um belo jantar! Também foi muito atenciosa em atender a todos os nossos pedidos e nos ajudar com a lavagem de roupas e contatos com taxistas locais.

 

Zinco

A pousada fica na Fazenda Campo do Zinco, um lugar único, que possui Mata Atlântica preservada em mais de 70% de sua área. Fomos recebidos pelos proprietários, Egon e Margarete, na casa sede da fazenda. A impressão que tivemos, logo de início, foi a de estarmos chegando em casa de velhos amigos. Nos sentimos verdadeiramente “em casa”!

É, sem dúvida alguma, um local de refazimento e, embora seja um opcional no circuito do Vale Europeu, depois de conhecer este paraíso, poderíamos dizer que o Campo do Zinco é parada obrigatória.

 

A Fazenda Sacramento foi outra grata surpresa em relação à hospedagem, oferecendo duas opções: a Casa Rural e a Casa Centenária. Nós ficamos na Casa Rural, uma casa com ambiente rústico super charmoso. O casal de proprietários, Rui e Angela, também nos receberam com um desvelo ímpar para que ficássemos à vontade e muito bem acomodados. O local é belíssimo e acolhedor. Deu vontade de ficar mais tempo… Uma vez mais, nos sentimos em casa!

Sem hesitação e sem medo de errar, a Fazenda Sacramento é outra indicação que damos a quem realizar a viagem pelo circuito do Vale Europeu.

 

Dein Haus

Tivemos alguma dificuldade de fazer reserva nas pousadas indicadas no site de cicloturismo, portanto, escolhemos a Dein Haus. É uma pousada nova na cidade. Foi estabelecida numa antiga casa dos anos 30, tombada pelo Patrimônio Histórico. É um lugar muito agradável. O Wilmar, proprietário da pousada, está sempre por perto esmerando-se em atender a todos os nossos anseios. Ele nos deu ótimas dicas para aproveitarmos melhor a cidade. Sempre prestativo, teve também muito bom gosto na decoração dos ambientes, preservando a história da época, mantendo o estilo nos móveis, nas pinturas. Certamente com o auxílio da esposa, que é artista plástica.

 

Despesas

Em relatos de viagem desse tipo, é muito comum a pergunta “quanto custou?”. Isso é normal, visto que ao planejar uma viagem é preciso ter ideia dos custos.

planejamento

No entanto, é importante ter em mente que essa é uma questão muito pessoal. Cada um tem um perfil financeiro, emocional, cultural e exigências pessoais baseadas em idade, saúde ou preferências e possibilidades mesmo.

Muitos cicloturistas levam barraca para acampar, praticamente eliminando os custos com hospedagem. Nós optamos por ficar em pousadas e, além disso, escolhemos aquelas que, segundo nossa avaliação, poderiam nos oferecer maior conforto.

Quem acampa, geralmente cozinha sua comida. Com exceção dos 3 dias de farofa de carne seca como uma das refeições, comemos nos melhores restaurantes que pudemos selecionar, sempre com o acompanhamento de vinho, cerveja ou suco.

Ou seja, nós gastamos mais que a média de cicloturistas costuma gastar, de acordo com os vários relatos que lemos antes da nossa viagem. Quando li depoimentos de gastos diários de R$ 10,00 com alimentação, não me iludi. Eu sabia que gastaríamos mais que isso.

dinheiro_voo

Ou seja, dentro de nossas possibilidades financeiras, tudo o que escolhemos é baseado primeiro em qualidade, depois em preço. Não deixe de considerar que a avaliação de qualidade às vezes pode ser pessoal, subjetiva e que o melhor nem sempre é sinônimo de mais caro.

Portanto, estamos disponibilizando nossa planilha de despesas apenas como ilustração no sentido de dar uma noção geral, até porque, em pouco tempo esses valores já estarão defasados. Clique no link abaixo para visualizar a planilha em PDF.

Planilha de Despesas

6 comentários sobre “Vale Europeu – Hospedagem e Despesas

  1. Achei o gasto bem bom, com essa hospedagem e comilança toda. Não entendi porque foi tão caro o transfer Floripa/Timbó, caro! Gostei das informações, esse seu blog tá mesmo o máximo. bj

    • Amiga,
      O valor do transfer de Floripa/Timbó/Floripa é elevado em função da distância e do tempo gasto na estrada (dependendo do trânsito, varia de 2h30 a 4 horas ou mais de deslocamento). São 170 Km, trafegando pelas rodovias BR 101 e 470 (a tal ‘Rodovia da Morte’!), movimentadíssimas. Na 470 não existe nem duplicação! Além disso, fomos de táxi e o motorista precisou arrumar emprestado um suporte pra levar as bikes. Cogitamos a possibilidade de alugar um carro, mas teríamos que devolvê-lo em Blumenau e nos deslocar até Timbó pedalando, o que seria mais arriscado e mais caro. Não compensava!
      Beijo

  2. Oi erika!!! Sou de bsb tbm e vou com meu marido dia 01 de março para a cicloviagem!!! Vcs foram.com a bike montada mesmo??? Maior dificldade até agora e esse transporte da bicicleta….vou descer em navegantes….vcs conseguiram um táxi com.suporte para as bikes né???abraços

    • Oi, Christiane! Tudo bem?
      Nós levamos as bikes montadas na primeira vez. Conseguimos um táxi de Timbó. O taxista não tinha o suporte. Foi o Rui da Fazenda Sacramento (47 988172787) que nos indicou o taxista e o Alexandre Barreto da Barreto Bikes (47 988408902) emprestou o suporte.
      Na segunda vez, levamos as bikes encaixotadas. Daí pegamos o ônibus da companhia em Navegantes que nos deixou em Blumenau. Lá o Rui nos pegou com a camionete e levamos as bikes diretamente para a Barreto Bikes montá-las e revisá-las para nós.
      Espero que façam uma ótima viagem!!!
      Abraço,
      Erika

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*