Cicloturismo? Palavra interessante…

Em 2009 vi uma bicicleta muito diferente numa loja da Puma. Fiquei fascinada! Comprei.
Não entendia nada a respeito do assunto, tampouco sabia exatamente o que queria fazer com ela. Pedalar, seria o óbvio…
Dei umas voltas, levei os bichinhos para se exercitarem. Elas gostaram! A Flora, em especial, amou!! E a bicicleta foi ficando encostada, porque eu sou meio preguiçosa para exercícios físicos. Talvez porque não goste de nada que não faça muito sentido. Manter o corpo saudável e bonito deveria fazer sentido… Mas não faz.

O Eduardo gosta de pedalar. Tem uma Speed Caloi Strada e uma MTB Scott Scale 60.  Outro dia ele me convidou para o Bikers Brasil, um site que fala de ciclismo em todas as suas formas. Eu me cadastrei e tinha que responder a uma pergunta: de que tipo de ciclismo você gosta? Humm… avaliei as possibilidades… Havia várias opções no site. Humm… “cicloturismo…” Gosto de viagens, o turismo no ciclo me chamou a atenção.

Joguei no Google: “O cicloturismo é uma forma de turismo que consiste em viajar utilizando como meio de transporte uma bicicleta. É uma maneira muito saudável, econômica e ecológica de se fazer turismo.” Wikipédia

Selecionei essa opção e comecei a interagir com os bikers. Uma turma bem receptiva, adorei!

Logo depois disso, uns colegas de trabalho nos convidaram para um pedal. Seria super fácil, segundo disseram. “A gente sai da altura da 110 no Eixão Sul, segue até o fim do Eixão Norte, Ponte do Bragueto, Lago Norte, Varjão, Paranoá, Lago Sul, Ponte JK, Eixo Monumental e volta ao Eixão Sul”. Uau! Não sou louca. Eu sabia que o percurso todo não ia rolar. Mas para acompanhar o Eduardo e animadinha com a história do Bikers Brasil, fazer cicloturismo, coisa e tal, pensei em começar meu condicionamento indo até o primeiro posto de gasolina do Lago Norte. Ali a gente se despediria e eu voltaria sozinha até o carro. Legal! Tiramos a poeira das bicicletas e fomos. Encontramos a turma feliz, super animada para o pedal. Tiramos umas fotos e começamos o percurso.

Eu fiquei pra trás logo de cara! Na altura da 103 sul eu parei… não aguentava mais. Estava morta! Que subidão absurdo!! Como é que eu nunca tinha percebido que o Eixão é só subida???
Eu e Eduardo nos despedimos. Ele seguiu em frente e eu voltei… nem fiquei arrasada, porque, afinal, não tinha condicionamento nenhum mesmo. Achei foi graça da minha inocência… com essa idade, acreditando em contos de fada…

Depois disso, eu demorei a pedalar novamente. O Eduardo, bem melhor condicionado que eu, não tinha paciência pra pedalar comigo, porque eu vou muuuito devagar… Sozinha não me animei, pouco tempo sobrando depois de um longo dia de trabalho, perigos noturnos… E morreu a história de condicionamento para fazer cicloturismo…

Sobre cicloturismo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cicloturismo
http://www.webventure.com.br/bike/n/o-que-e-cicloturismo/24962/secao/bike
http://www.trilhaseaventuras.com.br/diarioviagem/viagem.asp?id=252&id_colunista=46
http://www.escoladebicicleta.com.br/cicloturismo.html
http://blogdacurtlo.wordpress.com/2011/12/20/voce-sabe-o-que-e-cicloturismo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*