Baar Fun Fun – em Montevidéu

2014-07-26_025_456px

Fizemos reserva para os shows de tango e candombe de sábado. Chegamos ao Fun Fun pouco antes das 20h, o bar ainda estava fechado e quando entramos o pessoal estava enlouquecido arrumando mesas. Perguntaram se tínhamos reserva e encaminharam-nos a uma mesa em frente ao palco, ao lado do bar. Achamos que era um ótimo lugar. Ficamos lá meia hora, olhando a arrumação, sem que ninguém viesse oferecer um cardápio ou coisa parecida. Eu já estava agoniada, com fome e sede. Isso foi bem decepcionante.
Mas ficamos observando a decoração muito louca e interessante. O lugar é cheio de história!

2014-07-26_026_1600px

O Bar Fun Fun existe desde 1895. Mas só ficou famoso quando Augusto Lopez o seu fundador, criou duas bebidas chamadas Perguloe e Uvita. As bebidas, especialmente a Uvita, que é servida lá até hoje, atraiu celebridades da boemia da cidade exibidas em suas paredes, junto com mais um monte de quinquilharias que dão personalidade ao lugar. Foi a Uvita que fez o Fun Fun atravessar mais de um século. A gente tinha que experimentar!

2014-07-26_20h21m26_001 web

Finalmente, o cardápio chegou!!! Planejamos jantar lá, já que a reserva só ia de 20h às 21h30 e os lugares são preenchidos por ordem de chegada. No entanto, eles não servem refeições… No cardápio só tem petiscos. Descobrimos que não íamos jantar. Pedimos a nossa Uvita, um vinho e uma pizza. Adoramos a Uvita, o vinho era bom, a pizza não era o nosso estilo, mas era razoável. Passamos a noite comendo petiscos caros e nada marcantes… Nem me lembro direito do que comemos.

2014-07-26_034_456px
Balcão do Baar Fun Fun às 20h

A música ambiente, composta de músicas desconhecidas para nós, foi excelente todo o tempo. O bar começou a encher e o show de tango começou às 22h30, com um casal dançando.

2014-07-26_048_456px
Cantante de Musica Ciudadana

Foi interessante! No entanto, o garçom teve que pedir para as pessoas se afastarem um pouco para liberar a nossa visão. Ainda assim, não foi fácil. Não foi uma apresentação glamourosa; foi como um tango de rua, um pouco decadente, mas sempre muito belo.

Pareja de baile apresentando um tango
Pareja de baile apresentando um tango

Depois do tango dançado, vieram dois músicos com violão e acordeon e um “cantante” todo estilizado encantou a plateia, inclusive, homenageando os turistas, com músicas típicas de diversos países no estilo “tango”.  Quando começou a cantar uma música brasileira do Tim Maia, percebeu que acompanhávamos e veio com o microfone para o Eduardo cantar. Meu marido arrasou por um breve momento!

O bar já estava lotado e muitas pessoas não tinham mesas. Se há show e eles recomendam que seja feita reserva, não faz sentido que pessoas entrem depois dos lugares preenchidos. Mas as portas não foram fechadas e as pessoas iam entrando e ficando de pé. Muitos turistas e muitos uruguaios, na média, acho que 40 a 60 anos, um clima ótimo, eu estava adorando aquela animação. Percebemos muitos clientes antigos, pela forma de tratamento que recebiam. Inclusive, muitos chegaram na hora do show e receberam as melhores mesas

Balcão do Fun Fun às 22h
Balcão do Fun Fun às 22h

O Candombe é um ritmo musical basicamente produzido por tambores. Foi trazido ao Uruguai pelos escravos vindos da África e passou a fazer parte da cultura uruguaia desde o século XVIII. Dizem que é marcante nos carnavais do país, mas é possível ouvir o ritmo andando nas ruas. Conhecer o Candombe foi um dos motivos de nossa visita ao Baar Fun Fun. Mas as pessoas não paravam de chegar e começaram a sentar-se na nossa mesa! Um absurdo! A graça acabou. Nós pedíamos para as pessoas se afastarem, mas não tinha jeito.

Então chamamos o garçom e pedimos a conta. Eu argumentei com ele que fomos os primeiros a chegar e que eles já deviam saber que aquela mesa, aparentemente excelente, era uma roubada. Eles deveriam ter mais consideração com os que chegam primeiro, já que não impedem o caos decorrente do excesso de pessoas. Ele não contestou, não cobrou o couvert e até se desculpou.

Quanto ao Candombe, não o identificamos em nenhum outro lugar. Procurei no YouTube para descobrir que não perdi nada, porque o ritmo não em nada a ver comigo. Fiquei até aliviada de não termos ficado para o show.

Enfim, a noite poderia ter sido ótima, mas foi estressante e terminou de um jeito horroroso para nós. A despeito da nossa experiência, recomendamos a visita, sim. Mas, se chegar cedo, exija a mesa mais perto do palco. Se estiver preparado para o caos, pode aproveitar bastante a noite.

Que a paz de Cristo seja o juiz em seus corações, visto que vocês foram chamados a viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos. Colossenses 3.15

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*