Nova Petrópolis, Jardim da Serra Gaúcha

Nova Petrópolis fica a 36 km de Gramado. É passagem para Gramado e Canela pela Rota Romântica ou para a região dos vinhedos. Aí, todo mundo acaba parando na Praça das Flores para brincar no Labirinto Verde e seguir o seu caminho para outros destinos. Em junho de 2012, nossa segunda Lua de Mel, fizemos diferente. Nova Petrópolis foi o nosso destino.

Parque Aldeia do Imigrante

O Parque Aldeia do Imigrante preserva a história dos imigrantes alemães que colonizaram esta região. Ele foi dividido em Aldeia Bávara e Aldeia Histórica.

   

 A Aldeia Bávara começa no pórtico de entrada do parque; ali ficam as lojinhas de artesanato e produtos coloniais, um restaurante típico chamado Biergarten e um coreto para apresentação de grupos populares e folclóricos, bandas e corais.

A Aldeia Histórica tem prédios, objetos, utensílios, documentos importantes considerados a memória viva da trajetória dos imigrantes alemães, preservando o seu patrimônio cultural em forma de Museu Vivo.

O Parque fica na Av. 15 de novembro, que corta a cidade. Um programa bem interessante!

Ninho das Águias

Saímos do Restaurante Colina Verde, mal conseguindo andar depois de horas experimentando tantas delícias. Então fomos para o Ninho das Águias dar uma volta. Ele fica a 710 m de altitude e é muito frequentado por amantes do vôo livre e por ciclistas praticantes de downhill. A visão panorâmica da região e do Vale do Caí é fantástica!

 

 

Era uma tarde muito fria, mas o céu estava bem limpo. O lugar estava lotado de pessoas que chegavam com suas cadeiras dobráveis, esteiras, mantas, cuias e água quente para o chimarrão… E iam se acomodando aqui e ali, esperando o espetáculo do pôr do sol.

Nós não aguentamos esperar, porque não estávamos preparados para aquele frio. A temperatura foi caindo bruscamente desde que saímos da hospedaria, cedinho. Aí, voltamos para lá porque tinha um ofurô quentinho nos esperando… Ui, que delícia!

Praça das Flores e Labirinto Verde

A Praça da República ou Praça das Flores fica no centro da cidade e é hoje considerado o ponto turístico mais visitado de Nova Petrópolis.

É lá que fica o Labirinto Verde, todo plantado em cipreste, o ponto turístico que referencia a cidade nacionalmente. Não há como visitar Nova Petrópolis sem passar por lá e virar criança se perdendo no labirinto.

Nessa viagem, infelizmente, o labirinto não estava na sua melhor forma, com os ciprestes ralinhos e sem poda. Nem fotografamos… O Eduardo não o conhecia e ficou frustrado com o que viu. E eu, que tinha feito a maior propaganda, não entendi nada. Depois ficamos sabendo que o labirinto teve que ser replantado, em razão das falhas nos ciprestes que já estavam muito velhos. Bem, em breve ele voltará a ser o que era.

Kukos

Fomos conhecer a Kukos, uma das lojas fantásticas da região, por indicação da Daisy da Villa Costaneira Hospedaria, em Nova Petrópolis.

A loja importa da região da Floresta Negra, na Alemanha, lindos relógios cuco e carrilhões. É claro que há uma imensa variedade de artigos lá, prontos para nos enlouquecer, porque são peças diferentes, interessantes, de excelente qualidade e, por isso mesmo muito caras, pelo menos para a nossa realidade. Os cucos e carrilhões, para nós, são apenas para serem admirados… Há de todos os tamanhos, belíssimos! Ficamos lá um tempão examinando os detalhes de cada relógio, maravilhados!!! Garimpamos preços que coubessem em nosso bolso e compramos umas coisinhas fofas, claro. Não deu para resistir!

É preciso visitar uma loja como essa, nem que seja somente como admirador, pois não há iguais em qualquer lugar. A matriz fica em Nova Petrópolis-RS e há uma filial em Gramado-RS.

Restaurantes e Vinícolas

Em Nova Petrópolis e região há muitos restaurantes com serviço no estilo colonial, italiano e alemão que servem num cardápio fixo diversos pratos típicos diretamente na mesa. Há também os fondues, as massas, os cafés coloniais, os chocolates! Tem muita coisa boa, mas também muitas opções que não vale a pena experimentar… Sem a indicação de quem já foi corre-se o risco de ser infeliz na escolha. Por isso, quando vamos conhecer um lugar novo, procuramos nos informar antes. Depois procuramos dar nossa opinião somente a respeito dos bons dos lugares que visitamos e recomendamos.

Colina Verde

Bem familiar, o Colina Verde é considerado o melhor restaurante colonial do país.  Todos os atendentes vestem-se com trajes típicos alemães, mas os pratos são, além de alemães, italianos e gaúchos. Serve, dentre outras variedades, sopa de capeletti, salsicha bock com chucrute, einsbain, matambre, panquecas de maça e um apfelstrudal com creme que é um sonho! Ele fica na BR-116, já praticamente dentro de Nova Petrópolis. Tem bom preço, tempero caseiro, comida feita no fogão a lenha, vista privilegiada do alto da colina e é referência gastronômica na região. Recebe estrelas no Guia Quatro Rodas há anos. É começar a comer, sem hora para terminar!

Forneria da Mata

Era uma noite muito fria quando comemos uma pizza ótima na Forneria da Mata, pertinho da Villa Costaneira, onde ficamos hospedados. Foi a nossa salvação, porque num domingo à noite não há praticamente nada aberto em Nova Petrópolis, pelo menos que valha a pena. Então o Luiz Arthur do Bistrô Chalet Gourmand nos indicou o lugar, que é frequentado basicamente pelos moradores da cidade. Percebemos, enquanto estávamos lá, que todos os clientes se conheciam e reconheciam que nós dois não éramos do lugar.

Bem escondido, fora do centro, o turista só o descobre se alguém contar, como no nosso caso. O lugar é muito agradável e o atendimento muito bom. Recomendamos!

Casa Di Paolo

Italiano, serve a tradicional sopa de capeletti, seguida de um galeto saborosíssimo, muito suculento, acompanhado de polenta frita, salada de radicci com bacon, maionese, massa com variados molhos, sagu, ambrosia e mais umas coisinhas. É o galeto mais famoso da região. Pudera! Assistimos num programa de TV desde o cuidadoso processo de preparação, que leva bastate tempo, até a chegada à mesa.  O tempero é caprichado na sálvia, e ele fica marinando por horas até ser assado na brasa em um local onde não recebe fumaça nem fogo direto. Conhecemos a unidade que fica entre Garibaldi e Bento Gonçalves, na entrada da Serra Gaúcha.

 

Vinícola Dal Pizzol

O restaurante Casa Di Paolo fica pertinho das vinícolas da Serra Gaúcha. Decidimos aproveitar para visitar as vinícolas porque não teríamos tempo de voltar ali outro dia. Mas o almoço demorou muito e com tantas vinícolas famosas ou não para ver, só sobrou tempo para visitar uma.

No ano passado um atendente da Super Adega nos indicou um vinho da Vinícola Dal Pizzol. Ele foi produzido com a casta Touriga Nacional, que dá nome ao vinho e é muito apreciada em Portugal. Foi elaborado em comemoração aos 200 anos da chegada de D. João VI ao Brasil. O pessoal da Super Adega contou que esse vinho foi servido no jantar oferecido ao U2 pela Presidência da República quando eles estiveram no Brasil em 2011 e que tinha feito o maior sucesso! Enfim, não demos muito crédito, mas compramos uma garrafa, porque o rapaz estava sendo tão simpático… Ficou guardada.

Dois meses depois, fizemos uma noite de pizza com vinhos espanhóis. Cada um levou uma ou duas garrafas e foi uma farra, porque nos metemos avaliar os vinhos e fazer um “concurso” do melhor vinho espanhol da noite.

Enfim, lá pelas tantas, acabou o vinho espanhol. O Edilson, nosso garçom, não perdeu tempo e passou a servir os outros vinhos disponíveis na adega. De repente, um fremir de gente estava atrás do dele para saber que vinho maravilhoso era aquele que ele estava servindo; outros com taças vazias pediam para experimentar! Era o Touriga Nacional. Não deu pra todo mundo, claro! Só tínhamos uma garrafa. Ainda assim ele ganhou o concurso, mas foi desclassificado por não ser espanhol… Depois voltamos à Super Adega para comprar mais e ficamos frustrados. Estava esgotado e não ia chegar mais, porque a vinícola não tem mais representantes por aqui.

Naquele momento na Serra Gaúcha, tendo que decidir que vinícola visitar, lembramo-nos de que teríamos a chance de provar aquele vinho. Então escolhemos a Dal Pizzol.

Fomos muito bem recepcionados pela Márcia que nos explicou tudinho e nos fez degustar todos os vinhos e espumantes que conseguimos! Olha, ficamos surpresos! Essa é uma vinícola pequena em porte, mas muito grande em qualidade de produtos. E tem um parque temático muito lindo onde passeamos ao entardecer.

Encomendamos algumas garrafas de vinho que foram despachados por transportadora, os quais já estamos usufruindo em casa. Para a pousada levamos duas garrafas para degustar ao pé da lareira, com queijos e salames artesanais da colônia que compramos pertinho dali. O limão para o salame, colhemos diretamente de um limoeiro carregadinho que encontramos à beira da estrada.

 

 

Ah, a Márcia, da Dal Pizzol, foi tão simpática! Conversamos um bocado e ela me explicou a receita do Capeletti in Brodo que eu amei, mas que ninguém queria me ensinar a fazer. Logo depois, paramos para comprar os queijos e salames e a senhora que nos atendeu, ouvindo nossa conversa sobre a sopa também acabou me ensinando a receita dela; confirmou o que a Márcia tinha explicado. Foi perfeito!

Padaria em Garibaldi-RS

Voltando para Nova Petrópolis, uma passadinha em Garibaldi para lanchar. Queríamos dar uma olhadinha na cidade que recebeu esse nome  em homenagem ao herói farroupilha Giuseppe Garibaldi. A gente conhece a história desde os tempos de escola, mas depois da “Casa das Sete Mulheres“, minissérie exibida em 2003 pela Rede Globo, Garibaldi tem mais significado. Não deu para fazer uma avaliação, mas a cidade nos pareceu muito agradável e acolhedora.

Foi engraçado, porque eu estava faminta e os lugares interessantes estavam fechados… Por que as melhores opções sempre fecham às segundas-feiras?? Então paramos numa padaria e perguntamos ao rapaz do caixa se havia algum shopping na cidade. Ele respondeu na maior naturalidade: “Bah, tem cinco!” Daí nossos olhinhos brilharam e ele caiu na risada… “Não há nenhum shopping em Garibaldi!” Tivemos que rir também… E comemos ali mesmo um misto quente de pão francês com um capuccino. Quando atrasamos para servir um almoço aqui em casa eu costumo brincar que é pra todo mundo achar que a comida está muito boa! Então, nesse caso, não posso dizer se o lanche na padaria estava bom, porque eu achei fantástico, porém a fome não é a melhor conselheira nesse tipo de avaliação.

Bistrô Chalet Gourmand

Dos mesmos proprietários do Villa Costaneira Hospedaria, foi nosso restaurante preferido em Nova Petrópolis! No Bistrô e na hospedaria, tivemos momentos maravilhosos e inesquecíveis. Mereceram, portanto, uma postagem especial. Clique aqui para ler.

Enfim…

Passamos 5 dias em Nova Petrópolis. É muito tempo para o porte da cidade, portanto demos um pulinho em Gramado e Canela para matar a saudade.  Mas Nova Petrópolis pode ser, sim, um destino! Amamos estar ali!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*