Gramado-RS

Gramado é infindável! Há sempre muito para ver, sentir!! Por isso a gente não se cansa de viajar para lá. Em junho de 2012, voltamos a alguns lugares que amamos e conhecemos alguns novos muito especiais. Lá sempre tem uma novidade!

Nonno MioTaverna Del NonnoCasarão

O  Nonno Mio, galeteria em Gramado, serve galeto, sopa de capeletti, spaguetti, polenta, radicci e maionese. Fica ao lado da rodoviária, na Avenida Borges de Medeiros. Pertencem ao mesmo grupo o Taverna Del Nonno,  com cardápio a la carte e o Casarão, na Rua Abramo Eberle.

Cada um tem um estilo de serviço diferente e diferenciado. Em outra oportunidade já havia conhecido os dois primeiros e recomendo.  Dessa vez, fomos com intenção de comer no Taverna Del Nono, porque eu queria o Prato da Boa Lembrança. Mas estava fechado… Para nosso alívio, nessa situação o Nonno Mio serve o cardápio a la carte. Então experimentamos o Parpadelle di Mare, que era o Prato da Boa Lembrança, e o Ossobuco de Cordeiro. Ambos deliciosos!

 

O Casarão evoca o ano 1900 para reviver a história dos seus antepassados, tanto na culinária quanto na decoração e arquitetura. Tem um cardápio de caças e massas estabelecido previamente e exige reservas antecipadas. Adorei a proposta!  Certamente vamos agendar uma visita na próxima vez que formos à Gramado.

Belle du Valais

O Belle du Valais é um restaurante suíço maravilhoso tanto na decoração, quanto no serviço e na qualidade dos pratos e bebidas servidos. O rodízio de fondue na pedra que experimentamos não consta do cardápio. É muito bom e tem um preço razoável em comparação aos de sabores específicos. Tentando escolher um bom vinho, vimo-nos numa enrascada, porque a carta conta com vinhos de qualidade superior, especialmente no quesito preços… Não conhecíamos praticamente nenhum e não estávamos dispostos a pagar tanto justamente numa região onde os vinhos deveriam ser bem em conta. Então pedimos uma sugestão ao garçom que nos atendia, explicando nosso dilema. Foi aí que surgiu o Soberbo que, como o rodízio de fondue, também não está na carta. É um vinho especialmente produzido para o Belle du Vallais. Ou seja, em nenhum outro lugar do mundo nós poderíamos experimentá-lo. Só isso já seria um bom estímulo; aliado ao preço módico em relação às demais opções, foi uma  sugestão irrecusável. Adoramos!

Giovana Regali

Eu conheci essa loja quando estive em Gramado em 2003. Era uma loja pequena e incrível. Quis voltar e encontrei um prédio inteiro! O lugar é uma perdição! São louças, cristais, pratarias, móveis, tapetes, lustres, espelhos, perfumaria e ainda jóias desenhadas por vários designs do Brasil, TUDO de um bom gosto incontestável! A louça maravilhosa e a La Pierrade, pedra para o fondue, usadas no restaurante Belle du Valais, em Gramado, podem ser encontradas na Giovana Regali, pois a loja e o restaurante são dos mesmos proprietários.

   

Fica na Av. Borges de Medeiros, 3002, em Gramado. Há muitas lojas lindas especializadas em decoração em Gramado. Faz parte do turismo conhecê-las e é irresistível levar algum mimo para casa.

Harley Motor Show

Não é preciso gostar de pilotar motocicletas para se maravilhar com os belos exemplares de motocicletas antigas, raras, belíssimas da marca Harley Davidson que estão dispostas num ambiente decorado como um cassino, com bar que funciona à noite. Durante o dia é um museu, à noite vira uma festa. Foi uma grande idéia!

Fica na Av. das Hortênsias, caminho que leva à Canela, no mesmo prédio do Museu do Automóvel, e do Museu de Cera Dreamland.

Museu de Cera Dreamland

Visitamos também o Museu de Cera. Bem, quem não conhece o Madame Tussauds, em Londres, pode achar engraçadinhas as estátuas de cera que lembram, algumas com muito esforço, os seus personagens.  A ambientação é bem feita, sem luxo e eles fazem umas produções fotográficas interessantes para quem quiser levar uma lembrança para casa.  Um passeio caro, porém divertido.

Lago Negro

Ah, o Lago Negro…!  É sempre tão agradável caminhar pelas suas margens, ficar admirando aquelas águas  profundas, a vegetação que parece grandiosa em volta, ouvindo o silêncio da natureza , namorando ou não. Ele é enigmático… Evoca em mim sensações paradoxais de temor e leveza.

Conta-se que um incêndio destruiu a mata existente que havia no local. Então, em 1953, Leopoldo Rosenfeldt construiu ali um lago. Embora suas águas sejam bem escuras, o nome Lago Negro se deve ao fato de que os pinheiros que circundam as suas margens vieram da Floresta Negra, na Alemanha.  Os pedalinhos em formato de cisnes e de caravelas são a grande atração. Mas nós preferimos apenas caminhar em volta do lago.

Enfim…

Em Gramado, a gente passeia pela cidade e redondezas planejando se mudar pra lá um dia; a cidade é bela, doce, requintada, tem vida! E depois volta para casa pensando em marcar outra viagem, porque não deu tempo de ver e de experimentar um monte de coisas!

Postagem anterior

Próxima postagem

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*