Estrada Real – Ouro Preto

 

27/09/2009

Ouro Preto foi a primeira cidade brasileira a ser declarada, pela UNESCO, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, em 1980.

Chegamos lá por volta de 17h e procuramos a Pousada do Mondego, indicada por nossa querida prima Luciana Costandrade.

A pousada fica em frente à praça da Igreja São Francisco de Assis, onde acontece uma feira permanente de artigos em pedra sabão.

Jantamos no restaurante da Pousada e foi uma delícia. O ambiente muito acolhedor, a comida excelente! Éramos os únicos no restaurante e recebemos tratamento vip! Na verdade, acredito que o tratamento seria vip de qualquer forma.

28/09/2009

O dia seguinte foi  o aniversário do Eduardo, uma segunda-feira quando todos os museus e igrejas estavam fechados para visitação. Só vimos tudo por fora… Mas andamos bastante por lá e conhecemos muita coisa linda!

O calçamento de Ouro Preto também é todo em paralelepípedo. Eu acho belíssimo! Na praça do centro histórico, o calçamento foi tombado. Na Varadero seria muito difícil circular por ali, como foi em Diamantina. Largamos a moto na garagem da pousada e fomos conhecer a cidade a pé.

 

 

Com tanta ladeira, primeiro em Diamantina e agora em Ouro Preto, já estávamos ficando em forma.

Conhecemos um lugar muito interessante, também indicação da Lu! O Acaso 85 Scotch Bar e Restaurante. Fica no Largo do Rosário nº 85. Entrando por uma porta relativamente estreita, não dá pra imaginar o que se vai encontrar lá dentro.

Na entrada o piso de pedras negras é muito diferente! É preciso, então, na penumbra, descer uma escada belíssima. Então encontramos uma varanda clara com muitas plantas, mesas de ferro e um chafariz antigo. Há chafarizes na cidade inteira… Ali também! Continuamos descendo para finalmente chegar ao saguão do restaurante que tem um pé direito altíssimo. Por toda parte há castiçais em paredes de pedra, peças de decoração antigas, artesanato mineiro. A lareira é enorme e única. Tivemos a sensação de estar num porão de um velho castelo. Adoramos!

No almoço é servida comida mineira em buffet. No jantar, pratos a la carte bastante apetitosos. A gente queria ter ido no jantar, mas justamente na segunda-feira eles não abrem à noite. Então fomos almoçar. A comida estava muito saborosa e com ótima apresentação.  Resultado, comemos demais e tivemos que caminhar muito para recuperar o fôlego. Isso é fácil em Ouro Preto!

 

 

Repúblicas de Ouro Preto, uma curiosidade!

Por toda a cidade espalham-se repúblicas de estudantes da Universidade Federal de Ouro Preto, cada uma com um nome mais original. A maioria é particular, mas há 58 repúblicas federais que surgiram a partir de 1897. Com a  mudança da capital de Minas Gerais de Ouro Preto para Belo Horizonte, as pessoas ligadas ao governo foram embora e muitas casas ficaram vazias. Então a Universidade adquiriu essas casas e criou condições de moradia para facilitar a vida dos alunos. Virou tradição.

As repúblicas tem regimento interno próprio e a Universidade não interfere na sua gestão. Cada uma tem um critério de seleção próprio que dura três meses e tem por objetivo avaliar se o candidato tem o espírito de solidariedade e senso de comunidade esperados.

Diz-se-que a “República Necrotério” recebeu esse nome por ter sido construída em um antigo necrotério. Daí surgiu,  há mais de 30 anos, o Bloco do Caixão, bloco carnavalesco dos mais tradicionais na cidade. Os estudantes contam que o nome do bloco carnavalesco se deve ao fato deles saírem do necrotério.

Há muitas: Covil dos Gênios, Democrack, Arcádia, Convento, Formigueiro, Peripatus, Sem Nome, Alforria, Masmorra… por aí vai.

Pé na Estrada

Foi um passeio rápido por Ouro Preto. Voltamos à pousada e encontramos no quarto minha encomenda especial: um espumante geladinho, frutas e chocolates. Brindamos ao aniversário do Eduardo mais uma vez!

Quase no fim da tarde pegamos a Varadero e colocamos na estrada rumo a Tiradentes onde continuamos a comemoração do aniversário do Eduardo num restaurante da Boa Lembrança, o Viradas do Largo.

2 comentários sobre “Estrada Real – Ouro Preto

  1. Não sei como pulei esse, não entendi. Mas adorei também. Amiga, vê se faz umas viagens legais aí, pra contar a história. Essa é de sei lá de que ano, e quando você acabar de narrar esta? Já tem outra no gatilho?
    *Muito interessante o restaurante mocosado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*