Comer, Beber, Viver

“Nada há melhor para o homem do que comer, beber e fazer que a sua alma goze o  bem do seu trabalho. No entanto, vi também que isso vem da mão de Deus, pois, separado deste, quem pode comer ou quem pode se alegrar?” Eclesiastes 2.24-25

Meus pais costumam se olhar e brincar: “Será que ela foi trocada no hospital?” “Será que temos

Meus pais costumam se olhar e brincar: “Será que ela foi trocada no hospital?” Eles não entendem como eu pude me tornar tão “chatinha” para comer… essa opinião é unanimidade entre todos os que me conhecem. Mas na hora de saber se alguma coisa ficou boa, todos aguardam a minha reação, porque na maioria das vezes, se eu gostar todos vão gostar.

Chatinha… entendam: não sou daquelas que não come isso, não come aquilo. Tirando pequi, eu como tudo! Basta ser feito com ingredientes de qualidade, ter boa aparência, aroma agradável e, por fim, estar gostoso… Quem não quer uma comida assim??? Então porque eu é que sou “chatinha”? Tudo bem, não me incomodo com o rótulo. Afinal, eu gosto mesmo de comer bem, no melhor estilo slow food.

Sobre Receitas da Erika

caderno de receitas
Meu Caderno de Receitas

Na verdade não são minhas receitas. Às vezes, estamos com fome, sem vontade de sair de casa e sem ingredientes necessários para uma receita pronta. Então invento alguma coisa com o que temos na despensa e na geladeira, tal como um molho para uma boa massa ou uma sopinha leve. Quando fica bom, anoto para repetir.

No entanto, a maior parte das receitas que pretendo postar aqui não foram criadas por mim. São receitas da minha mãe, das minhas tias, de uma colega de trabalho, de algumas primas e amigas que fazem coisas muito saborosas!

Embora ame comer bem, não tenho muita prática em culinária. Aí, pergunto muito antes de fazer e reescrevo a receita do jeitinho que fiz no meu caderno gourmet. Para os habituados ao métier, pode até ser entediante ler uma receita tão detalhada. Mas para os principiantes e atrapalhados na cozinha, como eu, é tudo de bom! Qualquer um pode executar uma receita assim.

É verdade… Apesar de todo esse discurso, são receitas simples, trocadas entre pessoas queridas, sem formalidade, sem compromisso. Todas testadas e aprovadas por mim, claro, que não tenho a ilusão de que elas vão agradar a todos nem de que são as melhores que existem. Nada disso. Eu digo pra minha secretária: “Por que você acha que só existe um jeito de fazer isso? E por que acha que o seu jeito é o melhor?” A gente sempre pode se aprimorar, não é mesmo? Comer bem, não implica em frescura, arrogância. Para comer, beber, viver com prazer, olhos brilhantes, boca cheia d’água, só é preciso vontade, boa companhia, um pouquinho de bom gosto e… saber ler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*